JACC Records edita “Perspectrum”

A editora JACC Records acaba de anunciar o lançamento de um novo disco, Perspectrum. O álbum foi gravado pelo trio constituído por Hugo Antunes (contrabaixo), Agustí Fernández (piano) e Roger Turner (bateria), tendo sido registado ao vivo no Convento de S. Francisco, em Coimbra, durante o Festival Jazz ao Centro 2016.

Vem aí o Festival Robalo Jazz / Antena 2

Chão Maior [Fotografia: Vera Marmelo]

O festival da editora Robalo vai apresentar-se este ano num formato um pouco diferente. O festival vai apresentar concertos em Lisboa (no Liceu Camões, com transmissão na Antena 2, sem público), no Porto (Sala Porta-Jazz) e em Coimbra (Salão Brazil) – estes últimos com público, com lotação limitada. Destaca-se no programa a participação da dupla Samuel Blaser & Marc Ducret, que se apresentam em Lisboa e Porto, além de participarem em masterclasses. O programa completa-se com Sara Serpa & André Matos, Miguel Rodrigues Empa, Lost in Translation (André Carvalho, José Soares e André Matos), Desidério Lázaro / Luís Candeias Duo, João Pedro Brandão Pausa, Demian Cabaud Aparícion, Samuel Blaser / Marc Ducret Duo, Chão Maior de Yaw Tembe, Kiri (Joana Raquel, Joaquim Festas, Gianni Narduzzi e João Cardita), Leonor Arnaut / João Carreiro Duo e ¡GOLPE! + Masa Kamaguchi. Destaque ainda para o grupo Garfo, quarteto que reúne talentos da novíssima geração do jazz nacional: Bernardo Tinoco (saxofone), João Almeida (trompete), João Fragoso (contrabaixo) e João Sousa (bateria). O festival promove também masterclasses com Samuel Blaser, Marc Ducret e Masa Kamaguchi, no Porto (Porta-Jazz) e em Lisboa – estreando na nova sala da Associação Robalo, no número 85 da Rua Damasceno Monteiro. Aqui fica o programa completo do festival.

 

Lisboa / Antena 2
13 Julho, 18h00: Sara Serpa & André Matos
13 Julho, 19h30: Miguel Rodrigues Empa
14 Julho, 18h00: Lost in Translation
14 Julho, 19h30: Desidério Lázaro / Luís Candeias Duo
15 Julho, 18h00: João Pedro Brandão Pausa
15 Julho, 19h30: Demian Cabaud Aparícion
16 Julho, 18h00: Samuel Blaser / Marc Ducret Duo
16 Julho, 19h30: ¡GOLPE! + Masa Kamaguchi
17 Julho, 18h00: Garfo
17 Julho, 19h30: Chão Maior

Porto / Porta-Jazz
15 Julho, 21h00: Kiri
15 Julho, 22h00: Samuel Blaser / Marc Ducret Duo
(bilhetes a 5€, vale para os dois concertos)

Coimbra / Salão Brazil
16 Julho, 21h30: Leonor Arnaut / João Carreiro Duo (5€)
17 Julho, 21h30: ¡GOLPE! + Masa Kamaguchi (7€)

Masterclasses
15 Julho, 15h00: Marc Ducret | Porta-Jazz (entrada livre)
15 Julho, 16h30: Samuel Blaser | Porta-Jazz (entrada livre)
16 Julho, 11h00: Samuel Blaser / Marc Ducret  | Robalo (5€)
18 Julho, 14h00: Masa Kamaguchi | Robalo (5€)

Luís Vicente apresenta disco a solo

A editora Cipsela acaba de anunciar a sua oitava edição. O disco Maré é o novo trabalho do trompetista e improvisador Luís Vicente, em registo solo, tendo sido gravado ao vivo no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, integrado no Anozero – Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra, em Novembro de 2017. O disco terá uma edição limitada de 300 exemplares e já está disponível para escuta e pré-encomenda na plataforma Bandcamp.

Quest Ensemble apresenta novo disco

O trio luso-britânico Quest Ensemble acaba de apresentar novo trabalho, The Other Side. Este grupo londrino junta o português Filipe Sousa (piano) com Tara Franks (violoncelo) e Preetha Narayanan (violino), trabalhando uma  combinação sonora original, que cruza elementos de música de câmara, jazz, contemporânea e experimental.  O trio teve a sua estreia discográfica em 2014, com o disco Footfall, e este segundo álbum já está disponível no Bandcamp.

Theatro Circo acolhe recital solidário 30 Anos APAV

No âmbito das comemorações do 30.º aniversário da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, o Theatro Circo em Braga vai acolher um recital solidário com o pianista Jorge Moyano, no dia 10 de Julho às 21h30. O pianista vai interpretar obras de Chopin, Liszt e Gershwin. Através da música, a APAV brinda a todos/as que têm partilhado o trabalho e a dedicação destes 30 anos. A bilheteira reverte para a APAV e os bilhetes estão disponíveis online e na bilheteira do teatro (10€). Os bilhetes estão disponíveis na Bilheteira Online.

Jazz no Parque apresenta programa

Tal como acontece com o Jazz em Agosto, também o Jazz no Parque, de Serralves, vai ter este ano um programa dedicado exclusicamente ao jazz nacional, como forma de promover o retorno à actividade de uma comunidade de músicos que ficou parada durante os últimos quatro meses. Aqui fica o programa completo do festival portuense.

4 Julho, 18h00: GUME
Yaw Tembe, Francisco Menezes, André David, Pedro Monteiro, Sebastião Bergmann, David Menezes, André Murraças, Maria do Mar, Gil Dionísio, Joana Guerra, Leonor Arnaut e Raquel Lima

11 Julho, 18h00: Bogus Pomp
Paulo Chagas, Fernando Simões, Nuno Rebelo, João Madeira e Mário Rui

18 Julho, 18h00: Cíntia
Simão Bárcia, Tom Maciel e Ricardo Oliveira

Rafael Toral apresenta “Open Space”

[Fotografia: Vera Marmelo]

Rafael Toral acaba de apresentar um novo disco, Open Space. Este novo álbum resulta de uma selecção de faixas do seu Space Program, a produção musical de Toral desenvolvida entre 2004 e 2017. O critério para esta espécie de best of foi, segundo o autor, focar em “temas com uma noção de espaço aberto mais apurada”. Conta Toral: “Já andei longe o suficiente para me afastar e perceber que este é o momento para parar um pouco, olhar para trás e ver a coisa no seu todo. Para minha surpresa, esta coleção de “pérolas” em forma concentrada oferece uma vista de consistência e acuidade que é superior a qualquer dos álbuns, como uma nova síntese. Visto daqui, o Space Program parece ser, no seu todo, uma realização mais conseguida do que eu julgava.”

Aproveitamos para recordar uma recente entrevista, onde Rafael Toral contextualiza o Space Program: “Quando saí do período de transição (entre 2002 e 2004) em que defini como iria funcionar a nova abordagem musical, tracei todo o plano de uma vez. Assumi um compromisso com um mapa de acção. Comecei por lançar Space, que serviu como enunciar de intenções e apresentação de matérias, sob a forma de uma orquestra electrónica em que eu toquei todos os instrumentos (excepto a participação de Sei Miguel e Fala Mariam). Depois duas séries de discos, uma de gravações a solo (Space Solo 1 e 2) e outra de composições minuciosas com colaboradores próximos como César Burago, Riccardo Dillon Wanke ou Manuel Mota, e convidados, como David Toop, Tatsuya Nakatani ou Evan Parker. Desta série resultaram os álbuns Space Elements I, II III. Ao vivo, estabeleci uma série de mapas de exploração de possibilidades em fraseado para cada instrumento a que chamei Space Studies, acho que foram oito. Mais tarde, comecei a dirigir formações cujo número indicava de quantas pessoas se compunha — o Space Collective, cuja aparição mais recente produziu o Moon Field. Estas formações tocavam num regime mais ou menos aberto quanto ao conteúdo das partes individuais mas estas eram cronometradas e aplicadas segundo uma partitura. Daí deu-se o salto para o Space Quartet, que opera de modo semelhante quanto aos materiais, mas cujas partes já são decididas autonomamente pelos músicos, sem partitura e sem sincronismo. No plano pedagógico, tenho oferecido o Space Program Workshop, dirigido a músicos de electrónica na óptica do hacking ou circuit bending, que trata não da tecnologia mas do que fazer com ela. Um trabalho sobre escuta, articulação e estruturação de discurso musical. Hoje, o programa discográfico está completo e encerrado, mas o trabalho que continuo a desenvolver cresce a partir do que fiz nestes últimos 15 anos.”

O novo disco Open Space tem distribuição exclusivamente digital e pode ser encontrado aqui.

Jazz 2020 substitui Jazz em Agosto: só músicos portugueses


Gabriel Ferrandini e Ricardo Toscano [Fotografia: Vera Marmelo]

O festival Jazz em Agosto, em Lisboa, cede este ano o lugar ao Jazz 2020, para “apoiar o regresso dos músicos portugueses de jazz ao palco”, revelou a Fundação Calouste Gulbenkian.

“Por causa da pandemia da covid-19, este ano não acontecerá a 37.ª edição do Jazz em Agosto, com a fundação a decidir organizar um festival focado no jazz nacional e com concertos em Lisboa, mas também haverá no Porto e em Coimbra, fruto de uma parceria com a Associação Porta-Jazz e o Jazz ao Centro Clube. Assim, o Jazz 2020 decorrerá durante dois fins de semana, de 31 de julho a 9 de agosto, com seis concertos no anfiteatro ao ar livre da Fundação Gulbenkian. Estão previstos ainda dois concertos no Porto e outros tantos em Coimbra. (…)

O festival arrancará em Lisboa a 31 de julho com o coletivo Coreto, formado por doze músicos ligados à cidade do Porto, seguindo-se a trompetista Susana Santos Silva a 1 de agosto. No dia 2 haverá duas atuações, da harpista espanhola, radicada no Porto, Angélica V. Salvi, e do trio The Selva, formado por Ricardo JacintoGonçalo Almeida e Nuno Morão. De 7 a 9 de agosto, acontecerão as atuações do pianista Daniel Bernardes com o Drumming Grupo de Percussão (dia 7), do baterista Joao Lencastre, a liderar o grupo Parallel Realities (dia 8), e do coletivo feminino Lantana com o saxofonista João Mortágua (dia 9). Em Coimbra, o Jazz 2020 contará com atuações de dois trios: TGB, de Sergio CarolinoMário Delgado e Alexandre Frazão, e o trio de Luís VicenteHugo Antunes e Pedro Melo Alves. Para o Porto estão agendados concertos do trio do contrabaixista André Rosinha e ainda de Ricardo Toscano, com Rodrigo Pinheiro, Miguel Mira e Gabriel Ferrandini.”

Fonte: Visão

PROGRAMA

Lisboa | Fundação Calouste Gulbenkian, Anfiteatro ao Ar Livre

Sex, 31 jul,  21:30 | Coreto
Sáb, 1 ago,  21:30 | Susana Santos Silva Impermanence
Dom, 2 ago,  21:30 | Angélica Salvi + The Selva
Sex, 7 ago,  21:30 | Daniel Bernardes & Drumming GP
Sáb, 8 ago,  21:30 | João Lencastre
Dom, 9 ago,  21:30 | Lantana + João Mortágua 

Coimbra | Casa das Artes Bissaya Barreto

Sáb, 1 ago,  19:00 |  Luís Vicente, Hugo Antunes e Pedro Melo Alves
Sáb, 8 ago,  19:00 |  TGB

Porto | Sala Porta Jazz

Dom, 2 ago,  19:00 | Ricardo Toscano, Rodrigo Pinheiro, Miguel Mira e Gabriel Ferrandini
Dom, 9 ago,  19:00 |  André Rosinha Trio