The Necks ao vivo em Braga e Lisboa

O grupo australiano The Necks vai apresentar-se ao vivo em Portugal, com concertos no gnration em Braga (15 de Maio) e na Culturgest em Lisboa (16 de Maio). Com o recente disco “Body” (2018) na bagagem, a banda de Tony Buck, Chris Abrahams e Lloyd Swanton aproveita também para celebrar os seus 30 anos de carreira. Braga e Lisboa vão assistir ao vivo à música original do trio, um jazz combinado com minimalismo e fluência improvisacional.

Isabel Rato apresenta “Histórias do Céu e da Terra”

[Fotografia: Joana Soda]

A pianista e compositora Isabel Rato acaba de lançar o seu novo disco, “Histórias do Céu e da Terra”. O novo material será apresentado ao vivo em concertos em Lisboa (1 e 2 de Maio no Hot Clube), no Porto (4 de Maio na Casa da Música) e em Setúbal (25 de Maio na Casa da Cultura). O novo álbum dá seguimento ao disco de estreia da pianista, “Para Além da Curva da Estrada”, editado no ano de 2016. Numa entrevista breve, Isabel Rato apresenta-nos este novo trabalho.

 

Que novidades tem este disco?
Este disco tem nova música, minha e de compositores que fazem parte da minha vida, como Luís Barrigas e João Rato. Este disco procura cada vez mais a união da música portuguesa com a música improvisada. Tem muitas canções desta vez… Reflecte a minha vontade de querer continuar a escrever e compor música, fazer arranjos para todos os instrumentos, mas também uma enorme necessidade de liberdade e espaço para a improvisação. Este disco tem vários convidados que muito admiro e também um quinteto de base. Todos estes músicos levam a minha música como se fosse deles, com a enorme mestria e talento que lhes assiste. Há mais novidades entretanto…

Quem são os músicos que participam? 
Começo pelo quinteto: João David Almeida na voz; João Capinha nos saxofones soprano, alto e tenor; João Custódio no contrabaixo; Alexandre Alves na bateria. Os músicos convidados: Beatriz Nunes na voz; Elisa Rodrigues na voz e autora da letra do “Vem”; João Barradas no acordeão e João Rato na guitarra. O quarteto de cordas é o “Quarteto Arabesco”: Denys Stetsenko no violino, Raquel Cravino no violino; Lúcio Studer na viola; Ana Raquel Pinheiro no violoncelo. E o disco foi misturado e masterizado pelo Nelson Carvalho.

Que ideias pretendes transmitir com esta música?
Penso que a música portuguesa, a palavra, e os nossos sons tradicionais são muito ricos… E quero continuar a desenvolver essa união com a música improvisada, como já tinha feito também no 1º disco. Procuro também não pensar, apenas deixar a música fluir e simplesmente acontecer em comunhão com o grupo…

Campo de Ourique também celebra o jazz

O Dia Internacional do Jazz também vai ser celebrado no Mercado de Campo de Ourique, em Lisboa. Assinalado a efeméride, a produtora Out of the Blue apresenta um concerto com a banda The Invisible Tuba no dia 30 de Abril, às 21h00. Este projecto junta o trompetista anglo-sardenho Mattia Corda e Simone Carugati no banjo, definindo-se como uma banda de jazz tradicional ao estilo de New Orleans.

Disco: “In Search of Light” de Eduardo Cardinho

Eduardo Cardinho 
“In Search of Light” 
(Nischo, 2019)

É raro vermos o vibrafone a assumir o papel de líder na história do jazz. Eduardo Cardinho é uma honrosa excepção lusitana que, ainda jovem, começa a dar que falar. Natural de Leiria, estudou na ESMAE, foi aluno de Jeffery Davis (nasceu no Canadá e tornou-se referência nacional no instrumento), tem estado ligado à cena jazz portuense e em 2014 recebeu a distinção de melhor instrumentista na Festa do Jazz do São Luiz. O seu disco de estreia como líder, Black Hole, surgiu em 2016, editado pelo Carimbo Porta-Jazz. Esse álbum mostrava um excelente instrumentista e compositor com vontade de se afirmar e com ideias próprias. Desde então temos visto Cardinho a evoluir, emprestando o seu vibrafone a diversos projectos, como os excelentes Home de João Barradas e o quinteto Galip, e foi convidado da Orquestra Jazz de Matosinhos no seu ciclo “Novos Talentos”. Chega agora o seu segundo disco como líder, desta vez publicado pela editora Nischo. (…)

Texto completo no no jornal Público:
https://www.publico.pt/2019/04/26/culturaipsilon/critica/procurando-luz-1870368

Pedro Melo Alves apresenta novo in igma

[Fotografia: Márcia Lessa]

O baterista, compositor e improvisador Pedro Melo Alves prepara-se para apresentar ao vivo o seu novo projecto chamado in igma. Esta nova aventura musical surgiu de uma encomenda do programador Rui Eduardo Paes para o festival Jazz no Parque e Melo Alves promete aprofundar a “pesquisa pela música erudita contemporânea aliada às práticas da improvisação”. Neste grupo o baterista Pedro Melo Alves conta com o apoio de um grupo de músicos oriundos de diferentes universos: Aubrey Johnson (voz), Beatriz Nunes (voz), Mariana Dionísio (voz), Eve Risser (piano), Mark Dresser (contrabaixo) e Abdul Moîmeme (guitarra eléctrica preparada). Além da actuação no Jazz no Parque de Serralves (6 de Julho), o grupo apresenta-se ao vivo no Südtirol Jazz Festival em Itália (5 de Julho), no Salão Brazil em Coimbra (11 de Julho) e no Hot Clube de Portugal (12 e 13 de Julho).

Out Jazz 2019: programa completo

Aqui está a programação completa do Out Jazz 2019. Os concertos realizam-se sempre aos domingos à tarde (17h00) em cinco jardins de Lisboa. Mais uma vez, é de lamentar que a programação se afaste do jazz, substituída por groove, soul e funk. É pena que a nova geração criativa de jazz português, em plena fase de afirmação, passe ao lado deste cartaz, em favor de outras propostas que nada têm de jazz ou improvisação. Contudo, encontram-se no programa algumas propostas relevantes, como Samuel Lercher Trio, Jessica Pina, Hitchpop, André Carvalho, Centauri, Daniel Neto e Desidério Lázaro. Aqui fica o programa completo.

Terceira também vai ter +Jazz

Além do festival Angrajazz, cuja programação foi recentemente revelada, a Ilha Terceira também vai ter o festival +Jazz. O festival regressa ao Teatro Angrense e apresenta concertos nos dias 24 e 25 de Maio no centro histórico de Angra do Heroísmo. O Teatro Angrense irá acolher quatro propostas musicais: Blubell, Beatriz Rodarte Trio, Karlos Rotsen Trio (na fotografia) e Karlos Rotsen Trio feat. Synik.

Toscano e Ferrandini estreiam duo na ZDB

A ideia já vinha de longe: juntar em palco dois dos mais criativos e enérgicos nacionais, o saxofonista Ricardo Toscano e o baterista Gabriel Ferrandini. Em entrevista publicada em Maio de 2017, no site Jazz.pt, Ferrandini já falava publicamente sobre a ideia de partilhar o palco com Toscano: “O gajo é brutal e tenho o feeling marado de que pode sair dali alguma coisa. O tipo era puto e já tocava pra caraças! Temos estado a falar e acho que vamos tentar fazer qualquer coisa. Agora, o que vai sair, não faço ideia! Somos de espaços diferentes, mas acho que a energia vai colar tudo. Ele também tem muito power e isso pode ser um bom princípio.”

Em Novembro de 2018 deu-se o primeiro passo: Toscano saiu da sua zona de conforto e integrou um quarteto de improvisação livre com Gabriel Ferrandini, Miguel Mira e Rodrigo Pinheiro. O concerto teve lugar no Bar Irreal (espaço com programação de Ferrandini) e correu tão bem que o quarteto foi convidado a participar no festival Jazz em Agosto 2019. Agora, Toscano e Ferrandini vão finalmente estrear-se como duo num concerto na Galeria ZDB, em Lisboa, no dia 10 de Maio. Este encontro entre duas figuras maiores da música portuguesa actual promete ser memorável.

Sara Miguel e Tomás Marques celebram o jazz na Ilha Terceira

No dia 30 de Abril, Dia Internacional do Jazz, a Ilha Terceira vai acolher dois concertos para celebrar a efeméride: Sara Miguel canta Nina Simone e Tomás Marques Quinteto. Este evento é promovido pela Associação Cultural Angrajazz e os concertos terão lugar no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo. O jovem saxofonista Tomás Marques, uma das grandes revelações do panorama jazz português (integra o projecto “Entre Paredes” de Bernardo Moreira), vai apresentar-se ao vivo liderando o seu quinteto. Neste grupo o virtuoso saxofonista tem a companhia dos músicos João Barradas (acordeão), Augusto Baschera (guitarra), Rodrigo Correia (contrabaixo) e Diogo Alexandre (bateria).

Na mesma noite a cantora Sara Miguel vai cantar a música de Nina Simone, apresentando ao vivo o projecto “A Voice for Freedom”. Para este projecto especial, a cantora Sara Miguel – voz da Orquestra Angrajazz e mentora do Bruma Project – estará acompanhada por Gonçalo Moreira (piano), Michael Ross (contrabaixo), Edmundo Diaz (audiovisual), além dos convidados Roberto Rosa (trompete) e Rui Melo (saxofone). Numa breve entrevista, Sara Miguel explica a sua profunda ligação com a música de Nina Simone e a homenagem que vai apresentar nos Açores.

Como chegaste à Nina Simone?
Apaixonei-me pela Nina Simone quase aos 20 anos – uma paixão tardia, já pouco adolescente, que prenunciava uma transformação em amor duradouro. Apaixonei-me por ela quando comprei o disco “The Very Best of Nina Simone”, uma antologia de 2006 que faz um resumo impossível da carreira estelar e gigante daquela mulher genial, lendária. Sou uma miúda de rádio, sempre fui – ninguém na minha família tinha ligação estreita com a música ou com músicos, os meus pais tinham poucas cassetes e discos em casa, não havia tradição de ouvir ou tocar ou ir a concertos frequentemente. Ouvia-se era muita rádio e os programas de música na televisão, e eu ouvia os autores clássicos que martelava nas aulas de piano, e gravava cassetes rafeiras com músicas do “World Chart Show” para levar nas viagens de carro estivais – é de adivinhar, portanto, que a minha passagem para o mundo musical digital e mais tarde para o streaming tenha sido muito natural. Antes de uma amiga me oferecer a colecção inteira da Blue Note que o marido tinha deixado ficar ao sair de casa, tinha muito poucos discos, todos eles muito especiais, porque só comprava aqueles que desejava muito ter – a antologia da Nina foi um deles. Continue reading “Sara Miguel e Tomás Marques celebram o jazz na Ilha Terceira”

Mano a Mano apresentam novo disco

O duo Mano a Mano, dos irmãos guitarristas Bruno e André Santos, acaba de lançar o seu novo disco, “Vol. 3”. O disco já pode ser ouvido e comprado no Bandcamp. Este novo disco será apresentado num showcase na APAV, em Lisboa, no dia 30 de Abril (entrada livre, reservas para comunicacao@apav.pt); uma parte do valor das vendas do disco reverte para a APAV.