Vem aí a segunda edição do Festival Robalo

Gonçalo Marques

Vem aí a segunda edição do Festival Robalo. Depois da primeira edição que teve o auditório do Liceu Camões como palco, nesta segunda edição o programa alarga-se para outros espaços. O festival realiza-se entre os dias 10 e 19 de Julho e apresenta um total de 22 concertos, sobretudo com músicos nacionais. O núcleo central dos concertos continua no Liceu Camões (estes concertos terão transmissão em directo na Antena 2), mas vai haver também música ao vivo nos espaços Alô Alô, Café Dias e Resistência, pequenos bares/cafés lisboetas com uma programação regular de jazz. Este ano o festival Robalo também se associa à Associação Porta-Jazz e vai rumar ao Porto. Além de nomes consagrados como João Lencastre, André Santos, Jacob Sacks, Gonçalo Marques e André Rosinha, pelo festival vão passar muitos novos projectos, como: Echo ochE (trio vocal de Inês Pereira, Sofia Sá e Joana Raquel), MA (quarteto de Leonor Arnaut, João Carreiro, João Fragoso e João Lopes Pereira), Tripeiros (quinteto de João Pedro Brandão, Hugo Caldeira, Miguel Meirinhos, Demian Cabaud e João Cardita) e João (trio de João Sousa, João Grilo e João Hasselberg). Aqui fica o programa completo do festival.

Festival satélite (Lisboa)
10 Jul, 19h00: Echo ochE (Alô Alô)
10 Jul, 20h00: Duo Almeida/Cirera (Alô Alô)
11 Jul, 19h00: Duo Tinoco/Fragoso (Café Dias)
11 Jul, 20h00: Duo Branco/Simões (Café Dias)
12 Jul, 22h30: ¡GOLPE! + Jacob Sacks (Resistência)
13 Jul, 19h00: ¡GOLPE! + Masa Kamaguchi (Alô Alô)
14 Jul, 19h00: Duo Demian/Matos (Alô Alô)

Liceu Camões (Lisboa)
15 Jul, 18h00: João
15 Jul, 19h00: Uniforme
15 Jul, 20h00: André Rosinha Trio
16 Jul, 18h00: Jacob Sacks
16 Jul, 19h00: Tripeiros
16 Jul, 20h00: João Lencastre “Parallel Realities”
17 Jul, 18h00: MA
17 Jul, 19h00: André Santos Trio
17 Jul, 20h00: Quarteto de Gonçalo Marques

Festival Robalo na Porta-Jazz (Porto)
18 Jul, 19h00: Duo Leonor Arnaut / João Carreiro
18 Jul, 21h30: André Matos
18 Jul, 22h30: Uniforme
19 Jul, 19h00: Fragoso Quinteto
19 Jul, 21h30: Quarteto de Gonçalo Marques
19 Jul, 22h30: Tripeiros

The Attic apresenta novo disco

O trio The Attic acaba de editar um novo disco, com o título “Summer Bummer“. O trio que junta os portugueses Rodrigo Amado (saxofones) e Gonçalo Almeida (contrabaixo) e o holandês Onno Govaert (percussão) edita este segundo registo através da editora lituana No Business. Este é mais um trabalho publicado em 2019 pelo saxofonista Rodrigo Amado, músico que foi recentemente distinguido como Artista do Ano nos Prémios RTP / Festa do Jazz, e que lançou recentemente o disco “No Place to Fall” em duo com Chris Corsano. O disco foi gravado ao vivo no Summer Bummer Festival em Antuérpia e a capa é da autoria de Manuel Amado, pai de Rodrigo – cujas pinturas já tinham resultado nas capas dos discos “Teatro” (2006), “The Abstract Truth” (2009) e “Live in Lisbon” (Motion Trio & Peter Evans, 2014).

Albatre ao vivo em Julho

O trio luso-alemão Albatre vai apresentar-se ao vivo numa tour nacional no início do mês de Julho. O trio de Hugo Costa, Gonçalo Almeida e Philipp Ernsting vai apresentar-se em Lisboa (Disgraça, 1 de Julho), Guarda (TMG, dia 3), Porto (OPPIA, dia 5) e Parede (SMUP, dia 6). Os Albatre trazem na bagagem o recente disco “The Fall of the Damned” (Shhpuma), “uma descida aos infernos, entre a improvisação jazzística e o punk hardcore”.

Leiria acolhe mais uma edição das OJL Jazz Sessions

Pedro Moreira [Fotografia: Márcia Lessa]

A Orquestra Jazz de Leiria promove mais uma edição das OJL Jazz Sessions, nos dias 19, 20 e 21 de Julho na cidade de Leiria. No dia 19, às 21h30, o vibrafonista Pedro Santo apresenta ao vivo o seu projecto “If Dogs Could Sing” no Teatro Miguel Franco. No mesmo local, no dia 20, a Orquestra Jazz de Leiria apresenta-se em concerto com o convidado Pedro Moreira, saxofonista, às 21h30. No dia 21, domingo às 16h00, acontece a apresentação dos resultados do Workshop de Big Band (a oficina decorre entre os dias 18 e 21, orientada pelos formadores César Cardoso e Pedro Nobre). Após os concertos de 19 e 20 realizam-se ainda jam sessions, que irão ter lugar no bar Garagem 82, a seguir aos concertos do Teatro Miguel Franco.

Disco: “III” de TGB

TGB
“III”
(Clean Feed, 2019)

“Jazz original que vai picar às mais diversas fontes. O trio de Sérgio Carolino, Mário Delgado e Alexandre Frazão chega ao terceiro disco com a energia de sempre.”

Texto publicado no suplemento Ípsilon do jornal Público, edição de 14 de Junho de 2019.

Matosinhos em Jazz regressa em Julho

Salvador Sobral [Fotografia: Maria Vilela]

O festival Matosinhos em Jazz regressa durante o mês de Julho. O programa apresenta nomes sonantes da nova geração do jazz português e alguns nomes internacionais, com concertos aos sábados e domingos às 18h00 no Jardim Basílio Teles (Coreto). Por Matosinhos vão passar: Ricardo Toscano (dia 6), Inês Pimenta (dia 7), Joe Armon Jones (dia 13), Bruno Pernadas (dia 14), Salvador Sobral (dia 20) e Susana Santos Silva (dia 21). O festival encerra com dois concertos de duas orquestras: Orquestra Jazz de Matosinhos com Fay Claassen (dia 26) e Avishai Cohen (contrabaixista) com Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Os concertos das orquestras acontecem na Praça Guilhermina Suggia às 22h00. O festival promove ainda uma exposição, no Jardim Basílio Teles, com a recriação de capas de discos históricos por quatro artistas portugueses: Bráulio Amado, Kruella D’Enfer, Catarina Glam e Pedro MKK.

Mn’JAM experiment apresenta-se ao vivo

Os Mn’JAM experiment são um projecto de música experimental que cruza elementos de música electrónica, pop alternativa, improvisação e jazz. O grupo apresenta-se como “uma viagem musical entre som e imagem e tem como características englobar jovens músicos de diferentes nacionalidades e cujas influências são as mais diversas”. O grupo teve a sua estreia discográfica em 2016 com a edição do CD/DVD “Live with a Boom” (339 Records).

O coletivo tem uma pequena tour agendada em Portugal, com concertos em Lisboa (MAAT, 8 Julho, 19h00), Castelo Branco (Museu Cargaleiro, 12 Julho, 21h45) e Caldas da Rainha (Centro Cultural e de Congressos, 13 Julho, 22h00). Ao vivo irão apresenta-se Melissa Oliveira (“M”, vozes), João Artur Moreira (“JAM”, artista visual e eletrónica), Matt Adomeit (contrabaixo), Virxilio da Silva (guitarra), Péter Somos (bateria) e o convidado Casey Benjamin (saxofones, músico que integra o projecto Robert Glasper Experiment e tem colaborado com Q-Tip, Mos Def e Stefon Harris).

Pernadas, Toscano e Linhares em Marco de Canaveses

Bruno Pernadas

Nos dias 14 e 15 de Junho há Jazz no Jardim, um novo festival promovido pelo Município do Marco de Canaveses. O Jazz no Jardim, o primeiro festival de jazz realizado na região, vai apresentar concertos de Manuel Linhares e Ricardo Toscano Quarteto (sexta, dia 14) e M.I Quartet e Bruno Pernadas (sábado, dia 15). Todos os concertos têm lugar no Jardim Municipal de Marco de Canaveses, fazendo jus ao título, e têm entrada livre.

Barreiro vai ter Jazz no Parque

Jakob Bro

No fim de Junho vai haver jazz no Barreiro. O novo festival Jazz no Parque é organizado pela Câmara Municipal do Barreiro, em parceria com a Escola de Jazz do Barreiro, e a programação é da responsabilidade de Jorge Moniz, baterista e educador barreirense. O festival realiza-se nos dias 28, 29 e 30 de Junho e apresenta concertos de Bobo Stenson Trio, Sexteto Jazz de Lisboa, Big Band da Escola de Jazz do Barreiro, Jakob Bro Trio, Ricardo Toscano Quarteto, Eduardo Cardinho Quarteto e TGB. Aqui fica o programa completo do festival.

28 Jun, 22h00: Bobo Stenson Trio
28 Jun, 23h00: Sexteto Jazz de Lisboa
29 Jun, 19h00: Big Band da Escola de Jazz do Barreiro
29 Jun, 22h00: Jakob Bro Trio
29 Jun, 23h00: Ricardo Toscano Quarteto
30 Jun, 19h00: Eduardo Cardinho Quarteto
30 Jun, 21h30: TGB

Memória: Entrevista a Gunter Hampel (2009)

O multi-instrumentista Gunter Hampel (n. 1947) é uma figura histórica do jazz criativo europeu.  Editou discos marcantes como “Heartplants” (1964) ou “The 8th of July 1969” (1969) e foi lendária a sua parceria com a cantora Jeanne Lee (1939-2000) – que foi também sua companheira de vida. Em Julho de 2009 Gunter Hampel actuou no festival Jazz Im Goethe-Garten, em Lisboa. Esta conversa aconteceu depois desse concerto (23 de Julho) e foi publicada na revista Jazz.pt #37.

 

Nasceu na Alemanha em 1937. Como aconteceram os seus primeiros contactos com o jazz?

Tendo nascido no ano de 37, eu ainda vivi a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra os americanos ficaram e nessa altura conheci uns soldados americanos negros. Eu era um miúdo, tinha uns oito anos, e tocava o acordeão. Eu ia ter com eles porque eles tinham selos, pastilhas elásticas e bananas – coisas que eu nunca tinha visto antes – e uma vez levei o acordeão. Um dos soldados começou a tocar guitarra e tive aí a minha primeira jam session. Nessa altura comecei também a ouvir a música da rádio das forças americanas e um dia ouvi o Louis Armstrong. Na altura não percebi as palavras, mas entendi o significado daquela música, nunca tinha sentido nada como quando ouvi aquela música incrível, que me deixou estupefacto. Continuei a ouvir essas músicas e essa exposição à cultura jazz foi uma coisa que me marcou para o resto da vida.  Continue reading “Memória: Entrevista a Gunter Hampel (2009)”