Disco: “Praise of Our Folly” Lisbon Freedom Unit

Lisbon Freedom Unit
“Praise of Our Folly”
(Clean Feed, 2018)

Quando, num longínquo futuro, se fizer a arqueologia da música improvisada em Portugal no início do século XX, este disco será um documento fundamental para se entender as dinâmicas da improvisação mais pura. Quem não quiser esperar, poderá ouvir já este disco.

Texto completo no jornal Público: https://www.publico.pt/2018/10/25/culturaipsilon/critica/turbilhao-1848539

Disco: “Analog” de Coreto

Coreto
“Analog”
(Porta-Jazz, 2017)

“Ao quarto disco, o ensemble mais representativo da cena Porta-Jazz continua a exibir um jazz vibrante. (…)”

Texto completo publicado no suplemento Ípsilon do jornal Público de 9 de Fevereiro de 2018.

Público: O melhor jazz do ano

1 Vijay Iyer – “Far From Over” (ECM)
2 James Blood Ulmer & The Thing – “Baby Talk” (Trost)
3 João Barradas – “Directions” (Inner Circle)
4 Kamasi Washington – “Harmony of Difference” (Young Turks)
5 Cortex – “Avant-Garde Party Music” (Clean Feed)
6 Ambrose Akinmusire – “A Rift in Decorum” (Blue Note)
7 João Paulo Esteves da Silva Trio – “Brightbird” (Arjuna)
8 Matt Mitchell – “A Pouting Grimace” (Pi)
9 Eve Risser & Kaja Draksler – “To Pianos” (Clean Feed)
10 Pedro Melo Alves – “Omniae Ensemble” (Nischo)

Artigo completo no site Público / Ípsilon:
https://www.publico.pt/2017/12/22/culturaipsilon/noticia/o-melhor-do-jazz-1796743

Todos os balanços de 2017: publico.pt/balanco-2017