ECM Records, 2018: na sombra de gigantes


Andrew Cyrille

A editora ECM Records continua a ocupar uma posição fundamental na definição do jazz contemporâneo. Sem esquecer seu o rico passado (que agora está também disponível no Spotify), a editora continua a ser veículo de edição de grandes álbuns do nosso tempo, entre nomes consagrados e novos talentos. Se 2017 foi o ano de Vijay Iyer (a crítica foi unânime com o disco “Far From Over”), neste ano de 2018 a editora alemã já lançou vários candidatos, entre históricos regressados e gerações mais jovens que querem reclamar o trono.  Continue reading “ECM Records, 2018: na sombra de gigantes”

Livro: “The History of European Jazz”

Acaba de ser publicado o livro “The History of European Jazz – The Music, Musicians and Audience in Context“. Com coordenação do divulgador italiano Francesco Martinelli, o livro tem o objectivo de fazer um retrato vasto da história do jazz europeu. O livro está estruturado por áreas geográficas e países, ficando a parte final reservada para artigos temáticos (jazz e cinema, música judaica, avant-garde e festivais, entre outros).

O panorama português é retratado em dois artigos, com as contribuições de Pedro Cravinho (que analisa o período 1920-1974) e Rui Eduardo Paes (que escreve sobre o período 1974-2000). Este livro, verdadeiro calhamaço de 752 páginas (e preço igualmente pesado), resulta de uma iniciativa da Europe Jazz Network, com edição da Equinox Publishing. O livro foi apresentado oficialmente durante a Conferência Europeia de Jazz, que se realizou em Lisboa no mês de Setembro.

Ricardo Toscano: como nunca o vimos

[Fotografia: Tiago Fezas Vital]

O saxofonista Ricardo Toscano está imparável. O seu quarteto edita finalmente o seu disco de estreia, publicado pela Clean Feed, e vai apresentar-se ao vivo em duas actuações, no Bar Irreal, em formatos que nunca explorou. O saxofonista apresenta-se num concerto a solo (pela primeira vez na sua carreira) no dia 28 de Novembro; no dia seguinte, 29, Toscano junta-se num grupo inédito com três improvisadores: Gabriel Ferrandini (bateria), Miguel Mira (violoncelo) e Rodrigo Pinheiro (piano). Ambos os concertos têm entrada livre, com contribuição voluntária para os músicos.

Disco: “Train of Thought” de LiftOff

LiftOff
“Train of Thought”
(Ed. de Autor)

O projeto LiftOff nasce da união de esforços de duas figuras centrais do jazz contemporâneo nacional: o pianista Óscar Marcelino da Graça e o vibrafonista Jeffery Davis. Formado em Aveiro no ano de 2002, o projeto gravou em 2003 o seu primeiro disco, que não chegou a ser publicado. Assim, este disco de estreia chega muitos anos após a génese do projeto. (…)

O disco “Train of Thought” reúne um total de nove temas: oito originais, cinco de Graça, três de Davis; e uma versão de um clássico de John Coltrane, “Giant Steps”, com arranjos de Graça e Davis. Além de Graça (piano e órgão) e Davis (vibrafone), o disco conta com a participação de Nélson Cascais (contrabaixo) e Alexandre Frazão (bateria). O grupo assume uma vontade de marcar a diferença: desde logo pela originalidade das composições; e também, naturalmente, pela relação instrumental de piano e vibrafone que, não sendo inédita, é pouco usual. (…)

Texto completo no site Bodyspace:
http://bodyspace.net/discos/3352-train-of-thought/

Disco: “Valsa Torta” de Orquestra Fina

Orquestra Fina
“Valsa Torta”
(Edição de Autor, 2017)

Rui Teixeira é um notável palhetista portuense, destacando-se sobretudo no saxofone barítono, no clarinete e no clarinete baixo. Membro da excelente Orquestra Jazz de Matosinhos, Teixeira integra alguns dos projetos mais criativos do jazz nortenho, como o ensemble Coreto Porta-Jazz, o quinteto Baba Mongol e o octeto Ensemble Super Moderne. Em nome próprio lançou o disco “Tu Não Danças”, editado no ano de 2013 (Carimbo Porta-Jazz), álbum que revelou um jazz original à volta das composições de Rui Teixeira.

Se nos projetos anteriores Rui Teixeira já assumia fascínio pelo formato canção, agora resolveu criar um projeto especificamente dedicado a explorar esse formato. A Orquestra Fina surge assim da iniciativa de Teixeira e põe um grupo de gente do jazz (sobretudo músicos ligados à cena Porta-Jazz) a trabalhar composições originais em ambientes sonoros pop-rock. Ao lado de Rui Teixeira (guitarra, saxofone e voz) estão Catarina Valadas (voz e flauta), Luís Ribeiro (guitarras), Hugo Raro (teclados), José Carlos Barbosa (baixo e voz) e Marcos Cavaleiro (bateria); e, num único tema, entra ainda Nuno Mendes (guitarra e programações). (…)

Texto completo no site Bodyspace:
http://bodyspace.net/discos/3351-valsa-torta/

Novembro Jazz em S. João da Madeira

Orquestra Jazz de Matosinhos

Durante o mês de Novembro a Casa da Criatividade em S. João da Madeira vai acolher um ciclo de concertos de jazz. O ciclo Novembro Jazz vai promover concertos de Jacqui Naylor (2 Nov), Luísa Sobral (9 Nov), JP Simões / Bloom (16 Nov) e Orquestra Jazz de Matosinhos com João Paulo Esteves da Silva (30 Nov). O ciclo promove ainda uma masterclass de iniciação ao jazz, com Sandro Norto (24 Nov), nos Paços da Cultura.

O jazz regressa à Marinha Grande

João Paulo Esteves da Silva Trio [Fotografia: Vitorino Coragem]

Vem aí a quarta edição do Festival de Jazz da Marinha Grande, que decorre entre os dias 10 e 24 de Novembro. O festival irá levar espectáculos à Casa da Cultura Teatro Stephens e ao Auditório José Vareda, no Sport Operário Marinhense. O festival arranca com a apresentação dos combos das oficinas, dinamizadas pelos professores César Cardoso e Pedro Nobre, e inclui actuações de Paula Oliveira (com o novo projecto “Canções Possíveis”), João Paulo Esteves da Silva Trio (do trio que gravou o magnífico “Brightbird”), Gonçalo Marques Quarteto (com Jacob Sacks, Masa Kamaguchi e Marco Franco) e (a apresentar o disco “A Dança dos Pássaros”, reinterpretação da música de António Pinho Vargas). Aqui fica o programa completo.

10 Nov: Apresentação dos combos (Teatro Stephens)
16 Nov: Paula Oliveira “Canções Possíveis” (Sport Operário Marinhense)
17 Nov: João Paulo Esteves da Silva Trio (Teatro Stephens)
23 Nov: Gonçalo Marques Quarteto (Sport Operário Marinhense)
24 Nov: Orquestra Jazz do Hot Clube de Portugal (Teatro Stephens)

Ricardo Toscano Quarteto toca Bernardo Sassetti no CCB

O Centro Cultural de Belém vai acolher um concerto especial do Ricardo Toscano Quarteto, que vai interpretar a música de Bernardo Sassetti. O espectáculo realiza-se no dia 25 de Outubro, às 21h00, no Pequeno Auditório. Este concerto resulta de um convite da Casa Bernardo Sassetti, numa iniciativa que tem o objectivo de homenagear a obra do pianista e compositor e, também, de fazer a ligação com a nova geração de músicos portugueses.

A directora artística da Casa Bernardo Sassetti, Inês Laginha, justifica a escolha: “O jovem saxofonista tem-se vindo a afirmar nos últimos anos como um músico emergente e incontornável da nova geração de instrumentistas de jazz portugueses e com ele os músicos que constituem o seu quarteto. Tocam juntos há 5 anos e se a sua abordagem se apoia fortemente no jazz tradicional, como o fez aliás Bernardo Sassetti no início da sua carreira, a sua tenra idade vem acompanhada de uma inevitável curiosidade e abertura à exploração musical. É nesse sentido que a Casa Bernardo Sassetti escolheu desafiá-lo para este concerto: para que música do Bernardo seja relembrada, mas mais ainda para que seja explorada nas mãos de alguém que tendo os pés na tradição tem o olhar no futuro.”

Disco: “Olho de Peixe” de Daniel Neto

Daniel Neto
“Olho de Peixe”
(Edição de autor, 2018)

O guitarrista Daniel Neto nasceu em Calw, nos arredores de Estugarda, no ano de 1979, e começou a tocar guitarra aos 14 anos. Estudou na Escola de Jazz Luiz Villas-Boas do Hot Clube de Portugal (entre 2001 e 2007) e em 2009 entrou no curso de Jazz da Universidade de Évora. É professor de guitarra desde 2006, licenciado em Música – Ramo Guitarra Jazz Performance pela Universidade de Évora desde 2013 e formado em Guitarra Clássica com o 8º Grau pelo Trinity College London desde de 2017.

O guitarrista tem tocado e colaborado com músicos e projectos diversos, como Joana Barra Vaz, Alexander Search e Jungle Jazz Orchestra, entre outros. Em paralelo, Daniel Neto tem construído uma carreira em nome próprio e editou o seu disco de estreia, “Embrião”, em 2015 – o disco foi gravado em Estugarda com um trio de músicos locais: Bernard Birk (no órgão), Georg Bomhard (no contrabaixo) e Thorge Pries (na bateria). Continue reading “Disco: “Olho de Peixe” de Daniel Neto”

Novembro no Hot Clube

Ricardo Toscano Quarteto

O Hot Clube de Portugal acaba de apresentar a programação para o mês de Novembro de 2018. A histórica casa da Praça da Alegria vai acolher os seguintes concertos: Wako (quarteto da Noruega), Jazz Ensemble Düsseldorf (da Alemanha), Ricardo Toscano Quarteto (a apresentar o seu muito aguardado disco de estreia), Michael Lauren AllStars, Home (de João Barradas), Paula Oliveira (apresentado “Canções Possíveis” para os “Poemas Possíveis” de José Saramago), Lucian Ban & Mat Maneri, Francesca Tandoi Trio, André Fernandes’ Kinetic, Umbrella e Gonçalo Marques Quartet (super-grupo com Jacob Sacks, Masa Kamaguchi e Jeff Williams). Aqui fica o programa completo.

Programa [PDF]