Há improvisação em Aveiro


Helena Espvall [Fotografia: Vera Marmelo]

No mês de Dezembro realiza-se a quarta edição do MEIA, o Festival de Música Experimental e Improvisada de Aveiro. O festival realiza-se nos dias 15, 16 e 20 de Dezembro e terá lugar na VIC Aveiro Arts House. Serão apresentados sete concertos ao longo de três noites e o programa inclui nomes como Helena Espvall, São Bernardo, Pássaro Macaco, os espanhóis Fuego e Escaire e o grupo Ensembleia (Helena Espvall, Bernardo Álvares, Bruno Pinho, Rui Veiga e Bitocas Fernandes). Aqui fica o programa completo.

15 Dez, 21h30: São Bernardo
15 Dez, 22h30: Helena Espvall
15 Dez, 23h30: Ensembleia
16 Dez, 21h30: Pássaro Macaco
16 Dez, 23h00: Salvi / Carvalhais / Tudela / Morais
20 Dez, 21h30: Fuego
20 Dez, 22h30: Escaire

Granular Fest realiza-se em Dezembro


Fred Lonberg-Holm

O Granular Fest vai realizar-se nos dias 15 e 16 de Dezembro. O festival é promovido pela Granular, associação cultural dedicada ao desenvolvimento e promoção da arte experimental, e vai apresentar um total de quatro concertos de música improvisada, reunindo músicos nacionais e internacionais. No dia 15, sexta-feira, actuam dois grupos: o quarteto de Carlos Zíngaro, Fred Lonberg-Holm, Alvaro Rosso e Nuno Morão e o trio Emídio Buchinho, Carlos Santos e Abdul Moimême. No sábado actuam mais duas formações: quarteto de Pedro Carneiro, Yedo Gibson, João Madeira  e Ulrich Mitzlaff e o trio CCV Wind3 (Paulo Curado, Paulo Chagas e João Pedro Viegas) com o convidado Rodrigo Pinheiro. O festival terá lugar no O’culto da Ajuda, em Lisboa, e os concertos começam às 21h30.

Livro: “Convergences, Divergences and Affinities”

“Convergences, Divergences and Affinities:
The Second Wave of Free Improvisation in England 1973–1979”

Trevor Barre
(Compass Publishing, 2017)

Com o livro Beyond Jazz – Plink, Plonk & Scratch o inglês Trevor Barre fez a cartografia da génese da improvisação livre em Inglaterra, focando-se num período temporal entre os anos de 1966 e 1972. Neste novo livro Convergences, Divergences and Affinities o autor continua o trabalho e analisa a chamada “segunda vaga” da improvisação entre 1973 e 1979 (novamente um período de sete anos). Se no primeiro volume era analisado o nascimento da música livre (identificando os primeiros momentos, os primeiros concertos, as primeiras salas) até ao processo de afirmação de nomes que ficaram para a história – como Evan Parker e Derek Bailey -, neste seu segundo livro Barre faz a continuação da história, focado na evolução da música durante a década de 1970.  Continue reading “Livro: “Convergences, Divergences and Affinities””

Manuel Mota lança disco duplo


[Fotografia: Vera Marmelo]

O guitarrista Manuel Mota acaba de anunciar o lançamento de um novo álbum. Editado com o selo Headlights, o disco tem formato duplo e tem como título “I II”. Este novo álbum reúne um conjunto peças de guitarra solo que Mota gravou no início deste ano de 2017 e a edição está limitada a 200 cópias. O disco novo – e outro material antigo, como o excelente “Sings” – pode ser escutado no Bandcamp de Manuel Mota, recentemente criado: manuelmota.bandcamp.com.

O’culto da Ajuda acolhe CreativeFest XI

O festival CreativeFest, promovido pela editora Creative Sources, chega este ano à sua décima primeira edição. O festival realiza-se entre os dias 21 e 25 de Novembro e terá lugar no O’culto da Ajuda, em Lisboa. O CreativeFest XI vai apresentar ao longo de cinco dias um conjunto alargado de propostas de música improvisada, entre grupos inéditos e formações consagradas – pelo festival vão passar projectos como Variable Geometry Orchestra, RED Trio, IKB Ensemble, Sei Miguel Quarteto, entre outros. Aqui fica o cartaz completo.

Going em estreia nacional

João Lobo [Fotografia: Vera Marmelo]

O grupo Going, que integra o baterista português João Lobo, vai actuar pela primeira vez em Portugal para apresentar o seu novo disco. O quarteto trabalha uma música experimental e reúne Pak Yan Lau (teclados e efeitos), Giovanni Di Domenico (Fender Rhodes e efeitos), Mathieu Calleja (bateria) e Lobo (bateria). O grupo prepara-se para editar o disco “Going III (Disque D’ORgue)”, numa co-produção Meakusma/Silent Water, e vai apresentar-se ao vivo em quatro datas entre o norte e o sul do país. Aqui fica a agenda completa da tour nacional.

31 Out: Antiga Casa da Cultura, Caldas da Rainha
2​ Nov: Damas, Lisboa
3​ Nov​:​ SMUP, Parede
4​ Nov: Sonoscopia, Porto

Miguel Ângelo aventura-se a solo

O contrabaixista Miguel Ângelo acaba de anunciar a edição de um novo disco. Membro dos grupos Ensemble Super Moderne, MAP e Pedro Neves Trio, também líder do seu próprio quarteto (que gravou os discos “Branco” e “A Vida de X”), atira-se agora a uma aventura a solo, sem rede, focado numa música livremente improvisada. O novo álbum, com o “I think I’m going to eat dessert”, será editado pela Creative Sources e vai ser apresentado ao vivo no dia 5 de Novembro no ciclo Solilóquios (Porto).

O contrabaixista apresenta assim o disco: “Fazer música é um ato de ousadia, chega mesmo a ser um ato de loucura, fazê-lo a solo é o ainda mais. Desde sempre estive envolvidos em processos de criação a solo, sobretudo numa vertente multi-instrumentista, gosto do que me tira dos eixos e dos caminhos habituais. Hoje, sinto-me com maturidade e desenvoltura suficiente para o fazer com o contrabaixo a solo. É música, sobretudo improvisada, experimental, onde exploro os sons e vozes do contrabaixo, afinações, timbres e alguns efeitos e loops, tudo criado em tempo real.”

Brötzmann & Black Bombaim de regresso

A parceria entre o lendário saxofonista alemão Peter Brötzmann e os portugueses Black Bombaim está de volta. Depois de concertos memoráveis e do excelente disco homónimo (edição conjunta Shhpuma + Lovers & Lollypops), Peter Brötzmann & Black Bombaim voltam a apresentar-se ao vivo em Portugal em duas datas:  no dia 25 de Outubro no Musicbox (Lisboa) e no dia seguinte, 26, no Passos Manuel (Porto). O concerto do Porto conta com a primeira parte de Paisiel, projecto do percussionista João Pais Filipe e do saxofonista alemão Julius Gabriel.