As últimas músicas no Maria Matos


Joana Gama, Marco Franco e Tiago Sousa

Acaba de ser anunciada a programação para o último ciclo de música no Teatro Maria Matos tal como o conhecemos. Estes são os últimos concertos programados por Pedro Santos, que vai transitar para a nova equipa da Culturgest. Serão apresentadas cinco propostas nacionais ligadas ao jazz e à improvisação: no dia 5 de Maio o guitarrista Filho da Mãe apresenta o novo “Água-má”; a 18 de Maio actua o trio Marco Franco, Joana Gama e Tiago Sousa (“Música para piano, harmónio e dulcitone”); a 15 de Junho há um concerto de celebração dos 35 anos do disco “Belzebu” dos Telectu (com a morte de Jorge Lima Barreto em 2011, Vítor Rua convidou António Duarte para reactivar o histórico projecto); nos dias 19 e 20 de Junho actua o baterista Gabriel Ferrandini (que regressa após o sucesso de “Tudo Bumbo”); e a 24 de Junho o duo Joana Sá e Luís José Martins estreia o espectáculo “Paixão e folia para São João”. A informação completa sobre os espectáculos e bilhetes está no site do teatro.

Entrevista: Susana Santos Silva

[Fotografia: Márcia Lessa]

Natural do Porto, a trompetista Susana Santos Silva tem sido uma das grandes forças criativas do jazz português contemporâneo. Integrou a Orquestra Jazz de Matosinhos durante duas décadas, actuando e gravando com figuras como Lee Konitz, Carla Bley, Maria Schneider,  John Hollenbeck, Kurt Rosenwinkel e Joshua Redman, entre outros. Em 2011 editou o seu disco de estreia como líder, “Devil’s Dress”, e desde então vem alimentando uma discografia rica, na qual se avolumam parcerias com músicos internacionais. Em simultâneo, foi também fundadora e dinamizadora da Porta-Jazz, a associação responsável pela actual vitalidade do jazz no Porto. Mudou-se recentemente para a Suécia e vem tocando por toda a Europa, explorando a sua música aberta, entre o jazz e a improvisação.  Continue reading “Entrevista: Susana Santos Silva”

Há jazz em Ovar

Children of the Light

Vem aí um novo festival. A primeira edição do Ovar em Jazz realiza-se entre os dias 19 e 22 de Abril e terá por palco o Centro de Arte de Ovar. O grande destaque do programa é o trio Children of the Light, dos pesos-pesados Danilo Perez, John Patitucci e Brian Blade (dia 21). O festival apresenta ainda actuações do trio Azul de Carlos Bica (dia 20) e da Big Band Júnior (espectáculo “Abraça Sassetti”, dia 22). Somam-se ainda dois concertos no Bar do Centro de Arte: Big Band do Conservatório de Música de Aveiro e Phantom Trio (entrada livre). Além dos concertos, este novo festival apresenta também oficinas de improvisação, jam sessions e masterclasses.

Susana China leva “Trapézio” ao Teatro do Bairro

[Fotografia: Mariana Seiça]

Susana China vai apresentar-se ao vivo em Lisboa. A cantora vai apresentar o seu disco de estreia, “Trapézio“, no Teatro do Bairro no dia 26 de Maio (sábado). A cantora estará acompanhada por um grupo que reúne jovens talentos da cena jazz nacional: Guilherme Pinto (guitarra), Gonçalo Moreira (piano), Ivan Silvestre (saxofone), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Guilherme Melo (bateria) e Constança Ochoa (voz).

Disco: “Ellipse” de Stefano Travaglini

Stefano Travaglini
“Ellipse”
(Notami Jazz, 2017)

O italiano Stefano Travaglini começou por se afirmar como versátil multi-instrumentista (piano, oboé e baixo). Estreou a sua discografia com o disco “The Hungarian Songbook” em 2013 (reinterpretação de canções folk da Europa de Leste) e actualmente distribui a sua energia pelos projectos Daydream Trio (com Giacomo Dominici e Marco Frattini) e The Journey Duo (com o saxofonista Manuel Trabucco). Agora, aventura-se num arriscado disco de piano solo. Travaglini lança-se numa empreitada musical que atravessa fronteiras estilísticas, percorrendo o jazz, a música clássica e a improvisação. Além das improvisações e das composições originais, o italiano revisita “Monk’s Mood” (Thelonious Monk) e o standard “Softly, as in a morning sunrise” (de Sigmund Romberg e Oscar Hammerstein II). (…)

Texto completo no site Bodyspace:
http://bodyspace.net/discos/3297-ellipse/

Jazz im Goethe-Garten já tem datas

Acabam de ser anunciadas as datas para a 14.ª edição do Jazz im Goethe-Garten: o festival de jazz do Goethe-Institut realiza-se entre os dias 3 a 13 de Julho de 2018. Como sempre, o jardim do Goethe-Institut, em Lisboa, será palco das novas tendências do jazz e da música improvisada europeia. A programação, da responsabilidade de Rui Neves, será apresentada em Maio.

Improvisação na ZDB

Otomo Yoshihide

A Galeria ZDB em Lisboa continua a alimentar uma programação vastíssima e não faltam propostas ligadas ao jazz e à música improvisada para os próximos tempos. No dia 19 de Abril actua o duo japonês Taku Sugimoto & Minami Saeki, com primeira parte de Sã Bernardo (projecto de Bernardo Álvares a solo). A 3 de Maio actua o novo Lisbon Berlin Quartet, que resulta do encontro do pianista Rodrigo Pinheiro (no piano eléctrico Fender Rhodes) com o já existente trio de Luís Lopes (guitarra), Robert Landfermann (contrabaixo) e Christian Lillinger (percussão). E a 29 de Maio é a vez da dupla Otomo Yoshihide (gira-discos) & Chris Pitsiokos (saxofone). A informação completa sobre bilhetes, preços e reservas está no site oficial.

Põe-te em Guarda (In Jazz)


The Bad Plus

O Teatro Municipal da Guarda acaba de apresentar a sua programaçáo para os próximos meses e um dos grandes destaques é o ciclo Guarda In Jazz. O ciclo vai apresentar um conjunto de propostas muito diversas: Slow Is Possible (29 Junho), Elas e o Jazz (30 Junho), Lokomotiv (5 Julho), Vítor Rua & The Metaphysical Angels (6 Julho), João Hasselberg Spectral Songs (7 Julho), The Bad Plus (11 Julho, agora com o pianista Orrin Evans, que substitui o fundador Ethan Iverson) e Jazzamboka (12 Julho). No âmbito do ciclo será ainda promovida uma sessão de apresentação do livro “O Jazz depois do Jazz”, de Ivo Martins (3 Julho).

European Jazz Conference: projectos seleccionados para showcases

Bode Wilson

Acabam de ser anunciados os projectos musicais portugueses seleccionados para actuarem na European Jazz Conference 2018, que se realiza em Setembro em Lisboa. Foram apresentadas oitenta e oito candidaturas e foram seleccionados os seguintes projectos: Susana Santos Silva (Impermanence), Bode Wilson, João Mortágua (Axes), Pedro Melo Alves’ Omniae Ensemble, Quarteto Beatriz Nunes e TGB. Estes showcases terão lugar nos dias 14 e 15 de Setembro.