Pedro Melo Alves promove ciclo de concertos “Conundrum”

[Fotografia: Márcia Lessa]

O baterista e compositor Pedro Melo Alves vai promover um novo ciclo de concertos. O ciclo “Conundrum” vai consistir em actuações em duo de Melo Alves com músicos convidados e irá realizar-se em diferentes espaços, de norte a sul, sem periodicidade definida. A primeira actuação será no dia 22 de Dezembro, num duo com o guitarrista Pedro Branco (Zaratan, Lisboa). Seguem-se actuações com João Grilo (19 de Janeiro, local a confirmar, Lisboa); Jacqueline Kerrod (10 de Fevereiro, local a confirmar, Porto); Nuno Rebelo (23 de Fevereiro, Sonoscopia, Porto).

Segundo Melo Alves, “a ideia do ciclo é serem colaborações o mais inéditas possível, gente com quem praticamente nunca toquei. Vão ser sempre pessoas especiais escolhidas a dedo, da música experimental ao jazz”. O promotor do ciclo explica o nome: “Conundrum é um enigma particularmente ambíguo que costuma ser usado em contexto de lazer, tipo um jogo. Neste caso é o enigma que duas pessoas que nunca tocaram juntas têm de resolver ao dar por si nessa situação. E há também o detalhe drum no nome”. Os restantes concertos serão divulgados futuramente.

Jazz.pt promove Cena Jovem

[Fotografia: Vera Marmelo]

A Jazz.pt promove a nova iniciativa “Cena Jovem”, com o objectivo de apoiar a criação e edição discográfica de jovens músicos nacionais da área do jazz e das músicas improvisadas. Esta iniciativa está aberta aos músicos/compositores nascidos depois de 1 de janeiro de 1993 e as candidaturas serão avaliadas por parte de um júri de três personalidades: Rui Eduardo Paes (editor da revista jazz.pt), Pedro Guedes (ESMAE e Orquestra Jazz de Matosinhos) e Helena Genésio (directora e programadora do Teatro Municipal de Bragança). A proposta selecionada, que será divulgada em Fevereiro de 2019, terá a oportunidade de realizar uma residência artística para gravação de um disco. A “open call” abriu no dia 10 de Dezembro e as candidaturas podem ser enviadas até dia 4 de Janeiro de 2019 (via formulário online).

Formulário e informações:
https://www.jazz.pt/breves/2018/12/09/cena-jovem-jazzpt/

Não vai faltar música ao Natal da SMUP

Em Dezembro a música não pára na SMUP, que vai acolher vários concertos de música improvisada. No dia 14 a sala da Parede acolhe o espectáculo “An Ayler Xmas“, com o saxofonista americano Mars Williams. Este é um projecto onde o saxofonista junta o free jazz de Albert Ayler com músicas de Natal, actuando com diferentes músicos ao longo da sua tour – neste concerto actua num trio com Luís Lopes (guitarra) e Vasco Trilla (bateria). A SMUP acolhe ainda, no dia 19, Beat the Odds (Pascal Niggenkemper, Elisabeth Codoux, Ricardo Jacinto e Nuno Morão); e no dia 21 actuam os Ikizukuri, trio de Julius Gabriel (saxofone e electrónica), Gonçalo Almeida (baixo) e Gustavo Costa (bateria).

Nubya Garcia vai a Braga

A saxofonista Nubya Garcia, uma das grandes revelações do jazz contemporâneo, vai actuar no ciclo Julho é de Jazz, em Braga. O ciclo realiza-se entre os dias 11 e 13 de Julho de 2019, no espaço gnration, e a saxofonista é o primeiro nome confirmado do programa. Nubya Garcia, que se tem afirmado como uma das novas vozes do jazz britânico, já actuou no festival Milhões de Festa, editou no ano passado o disco “Nubya’s 5ive” e já neste ano de 2018 lançou o EP “When We Are”.

Quarteto Al-jiçç apresenta novo disco

O quarteto Al-jiçç vai apresentar um novo disco, intitulado “٤”. O grupo é constituído por Nuno Damião (guitarras e composição), Gonçalo Lopes (saxofone tenor e clarinetes), Ricardo A. Freitas (baixo) e Jorge Lopes Trigo (bateria e percussão). Este será o quarto disco da banda, reunindo temas compostos no período de 2007 a 2011, agora harmonizados, reorganizados e recontextualizados. O quarteto apresenta assim a sua música: “mantendo as melodias de inspiração sefardita como matéria prima, “٤” contém temas mais directos e enérgicos com influências várias, desde o klezmer, ao rock psicadélico, passando pelo ethio-jazz ou a música Gnawa do norte de África”. O disco estará disponível em formato digital e edição física (limitada a 50 exemplares).